HOMENAGEM À MINHA MESTRA

 

HOMENAGEM À MINHA MESTRA 

 

Ao mestre que nos acompanha ao longo do tempo, ao nosso lado sempre presente, como continuidade da educação que adquirimos em nossos lares, e logo cedinho nos recebe como pedras preciosa a lapidar.

Há quem lhe impute o mérito apenas pela educação formal, contudo, importante papel desempenha também na nossa educação informal, desenvolvendo  um trabalho paralelo ao nosso primeiro grupo social, a família.
Educador, adjunto a nossa família percorrendo caminhos, ora árduos, ora mais gratificantes.
Mestre, hoje e não só hoje, injustiçado, incompreendido, quando vivemos numa sociedade, cuja inversão de valores está cada dia mais evidente. Onde não lhe é atribuído o respeito ao qual se  faz merecedor,  prova que se faz presente no dia a dia na relação professor e aluno, principalmente, se crianças e adolescentes.
Há muito se  fala em Escola Nova, Escola Moderna, aquela baseada no laissez-faire. O que é na realidade a Psicologia Moderna?

O professor, mãos delicadas, frágeis que ao fim da vida tornam-se calejadas,  pelas injustiças sofridas. Não aquele calo físico, mas o interior que fere tão duramente sua sensibilidade.

 Porém, vale ressaltar, que justiça também não significa calejar as mãos dos alunos com a vilã antiga palmatória, ou seus joelhos sobre grãos de milho, como antigamente.

A educação tradicional também tinha seu lado negativo, porém não cheguemos ao extremo de pais se acharem no direito de gritar com o professor.
O professor é a figura do educador que merece nosso maior respeito.

Valorizado seu trabalho monetariamente. Se bem soubessem nossas autoridades, veriam com outros olhos a valorização salarial do professor e todas as categorias de educadores, pois sem eles a lhes ensinar as primeiras letras, não galgariam os degraus que os levam a ascensão.

Por que então,  não olharmos a figura do professor com o carinho que lhe é devido?

Às vezes, pensamos que ele se perdeu no tempo, outros nos acompanham fisicamente ao longo da vida nos dispensando sua amizade.

Outro dia, em 1996, redescobri a minha primeira professora do jardim da infância, aquela que me ensinou as primeiras letras em 1959. Na minha vida acadêmica, tive muitos professores, dentre eles, vários padres e freiras, cujos ensinamentos interiorizei e fazem parte da minha vida. No ensino primário, ginasial, magistério segundo grau e nível superior.

A eles rendo o  TRIBUTO, agradecimento e reconhecimento que lhes são devidos.

Obrigada e que Deus abençoe, aos que estão ainda aqui na terra e aqueles que  levou para perto de si.

Na figura de minha primeira professora Marina Lira, a quem Deus levou em 31/01/2003, aos 86 anos, meu “ MUITO OBRIGADA” .

  

Tributo a uma mestra

 

M arina, mestra querida, cujos ensinamentos inseridos estão na minha vida

A sua presença se faz em cada palavra que eu escreva, leia ou diga

R ealmente, gostaria de hoje poder lhe abraçar , dar-lhe um beijo, agradecer

I  nstrução herdada ao longo de minha vida e me deu oportunidade de crescer

N a longa estrada da vida, nada se perdeu e sua presença em mim fez-se ativa

A sua partida ao para o seio do Senhor nosso Deus, seus ensinamentos não arrefeceu

 

L iteralmente, quero prestar minha homenagem, aos mestres que tive na vida

 

I  ncansáveis na ação de educar, e para a minha existência prepararem

R acionalmente ao lado de minha família, adjuntos para a vida e para o lar

A devida importância a todos, querida ex-mestra Marina, aqui quero externar.

 

Mercêdes Pordeus

15/10/2004

Anúncios
Esse post foi publicado em TEXTOS. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s