MULHERES QUE ESCREVEM

MULHERES QUE ESCREVEM
Mercêdes Podeus
Recife/Brasil

Mulheres que escrevem… Com a alma
Expõem seus anseios e sentem a calma
Por terem evadido delas tantos traumas
E com o tempo restauram suas alegrias.

Mulheres que escrevem… Com o coração
Liberando então limpidamente a comoção
Elevam-se em desejos, ânsias e solidões
Traduzindo em vivência as suas emoções.

Mulheres que escrevem… Com a mente
O que às vezes os corações desmentem
Outras revelam uma emoção diferente.
Daquelas que, na realidade elas sentem.

Mulheres que escrevem… Com o olhar
E por ele às vezes se deixam acompanhar
Olhares de alegria, tristezas tentam captar.
Daquilo que as cerca tentando lhes ameaçar.

Mulheres que escrevem… Suas histórias
Tantos momentos de muitas lutas inglórias
Mas outras vezes persistem nas memórias
Experiências transformando-as em glórias.

Mulheres que escrevem… Na opressão
Sentem na pele a dor da discriminação
E ainda assim transtornadas pela aflição
Tiram delas para suas vidas uma útil lição.

Mulheres que escrevem… Com a lua
Tirando-lhe um pouco de sua luminosidade
Escrevem na história, a realidade nua e crua
Reafirmando constantemente suas identidades.

Mulheres que escrevem… Com as estrelas
Tecendo com seus brilhos as suas defesas
E com o encantamento pela sua singeleza
Transformam as suas vidas numa fortaleza.

Mulheres que escrevem… Com sabedoria
Apesar de alimentarem suas fantasias
Como uma mistura de magia e utopia
E mesmo na realidade vivem a alegoria.

Mulheres que escrevem… Com pena de ouro
Verdadeiras tecelãs dos mais belos tesouros
Conseguem transformar na mais fina renda
O legado que aos seus passará como prenda

Mulheres que escrevem… Com autenticidade
O que lhes chega à inspiração… A Felicidade!
Transportam para o papel a responsabilidade
Que lhe impõem, mesmo com sua fragilidade.

Mulheres que escrevem… Com suas vidas
Através das inúmeras experiências vividas
Ainda que com todas as decepções sofridas
Transcendem o entendimento de suas lidas.

Mulheres que escrevem… Com as mãos
As mesmas mãos que afagam os irmãos
Que ora sofrem por viverem na solidão
Outras vezes, por faltar na mesa o pão.

http://www.ecosdapoesia.net/agoraeparasempre/mercedes/mulheres_que_escrevem.htm

Classificação na 3ª Edição do Concurso Literário Internacional MULHERES QUE ESCREVEM, aguardando edição da Antologia "MULHERES EM PROSA E VERSO" nº 3, pela HOJE EDIÇÕES LTDA.

Anúncios
Esse post foi publicado em POEMAS. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s